The Fall #Séries

The FallThe Fall estava na lista para ser assistida há algum tempo, em parte por ter a Gillian Anderson, eterna Dana Scully de Arquivo X, no elenco. Contudo, a série é muito mais.

O cenário é a moderna Belfast, na Irlanda do Norte. Uma cidade com um passado conturbado e que ainda possui áreas bem convulsivas e não convidativas para a polícia, o que percebemos nas subtramas da série. Como atores principais desse enredo temos a Detetive Stella Gibson (Gillian Anderson), enviada de Londres para revisar e dar um novo olhar às investigações de um homicídio não solucionado, mas que logo se conecta à outros, revelando um serial killer, e Paul Spector (Jamie Dornan), que entre um jantar e outro em família mata mulheres em suas casas.

Eis um diferencial, sabemos desde o início quem é o assassino, mas não apenas isso, também conhecemos sua família, onde mora e profissão. Acompanhamos seu dia a dia em alternância à rotina da investigação, centrada na Detetive encarregada. São dois pontos de vista muito bem construídos e muito bem interpretados.

jamie-gillian-the fall
Foto: Benjamin McMahon

Gillian simplesmente arrasa no papel de uma mulher sensual, feminista, determinada, inteligente, e muitas vezes fria. Jamie aos poucos vai mostrando a que veio, da indiferença e das poucas palavras avançamos à violência e à manipulação típicas de um psicopata.

A narrativa pode até causar estranheza a quem está acostumado com os seriados policiais típicos, como CSI e Criminal Minds: muitos casos, muitos episódios, muita tecnologia. Aqui não há pressa, o suspense psicológico e a tensão tem lugar de destaque nos cinco episódios que compõe cada uma das duas temporadas, disponíveis aqui no Brasil através do Netflix.

Anúncios

Orphan Black #Séries

Eu poderia estar lendo, resenhando um livro, mas venho aqui humildemente para falar de uma série. Quem me conhece sabe o quão sou viciada nesse formato de entretenimento, e porque não, meio informativo.

Tenho meus amores antigos, séries que já estão pra lá de suas quintas/sextas temporadas, mas de vez em quando surge uma paixonite aguda por algo novo, e o cupido dessa vez trouxe uma flecha com o nome ORPHAN BLACK .

Orphan Black

A série, uma coprodução da BBC americana com o canal de origem canadense SPACE, traz uma sinopse recheada de drama e ficção científica. Tudo começa quando Sarah, uma jovem afundada até o pescoço em problemas, vê uma mulher se suicidar no metrô. Ela fica cara a cara com a suicida e para sua surpresa, olhá-la foi como se ver frente a um espelho, tamanha a semelhança. Não podendo fazer muito por aquela estranha, em um ato de oportunismo e desespero, ela assume a sua identidade. Enquanto Sarah vai se envolvendo com a vida de sua sósia, ela descobre a dura verdade, elas são clones. E mais, um assassino as está eliminando, uma a uma.

A sinopse, por si só, já chama a atenção, mas depois de assistir o primeiro episódio é impossível não emendar um no outro até o final da temporada (1o episódios). A trama vai se desenvolvendo e crescendo, enquanto alguns mistérios se revelam e diversos se aprofundam. A tensão é uma constante e de largados no sofá, passamos à posição de sempre alerta em minutos.

Entretanto, tudo poderia estar perdido sem uma boa atuação das protagonistas dessa história, interpretadas pela incrível, e até então desconhecida do grande público, Tatiana Maslany. Sem cair no clichê gêmea boa/gêmea má, ela consegue dar personalidade às mais diferentes versões dos clones, fazendo com que esqueçamos por 45 minutos que é “apenas” uma única atriz.

Tatiana Maslany

O irmão adotivo de Sarah, Felix (interpretado por Jordan Gavaris), é um show a parte. Um michê figuraça,  encrenqueiro e com aquele sotaque britânico carregado que a gente ama. Ele dá um dos grandes toques cômicos à trama, com o comentário certeiro sempre na ponta da língua, deixando tudo ainda mais divertido.

FELIX_Jordan Gavaris

A série revelou-se digna de premiação e a crítica especializada também entendeu dessa forma. Orphan Black já levou pra casa o Critics’ Choice Television Award de 2013 pela atuação de Tatiana, foi indicada, agora em 2014, ao People’s Choice Award na categoria atriz favorita de ficção-científica e ao Globo de Ouro por melhor atriz de série dramática. Já estou levantando a plaquinha de “Já Ganhou!”.

A segunda temporada estreou lá fora em abril desse ano e temos confirmação da terceira temporada para 2015. \o/

Segue o trailer promocional para deixar o gostinho de quero mais.

Se interessou? Quer adentrar nesse mundo louco da teoria da conspiração? Se sim, informo que a primeira temporada completa está disponível no Netflix, ou você acompanhar os episódios pelo canal A&E, toda quarta às 22hs (acho que estão no 7o episódio da 1a temporada).